5 de outubro – Dia do Empreendedor

28 de setembro de 2018

 

Venda direta é alternativa para empreender de forma rápida e descomplicada 

São Paulo, 27 de setembro de 2018 – No próximo 5 de outubro é comemorado o Dia do Empreendedor. A data foi escolhida em homenagem à lei 9.841/1999 que instituiu o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte.

Diante das dificuldades encontradas no cenário econômico nacional, os brasileiros estão em busca de novas oportunidades de renda e o setor de vendas diretas se destaca como opção acessível para quem procura formas de empreender.

Com baixo ou nenhum investimento inicial, a venda direta oferece benefícios como a flexibilidade de horários, ganhos de acordo com o trabalho realizado e autonomia no desenvolvimento da carreira.

Formado por empresas renomadas que comercializam produtos de vários segmentos como alimentos, suplementos, vestuário, eletroeletrônicos, acessórios, livros, brinquedos, entre outros, o setor de vendas diretas tem se mostrado um caminho para superar a crise.

Dados da Receita Federal mostram que em 4 anos, o número de microempreendedores individuais no Brasil cresceu 68% passando de 4,3 milhões em 2014 para 7,3 milhões em 2018. Destes microempreendedores individuais, grande parte está inserida em vendas diretas.

Com um volume de negócios de mais de R$ 45 bilhões em 2017, o setor também é a porta de entrada para o mercado de trabalho, pois muitas empresas disponibilizam cursos e palestras que auxiliam no desenvolvimento profissional de jovens empreendedores.

A ABEVD (Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas) atua na promoção do empreendedorismo como alternativa de renda e trabalha para fortalecer esta cultura no Brasil.

“Nosso foco é disseminar a oportunidade de empreender e trabalhar com vendas diretas. Buscamos atuar junto às empresas, universidades e toda a sociedade para mostrar que nossa indústria proporciona uma atividade formal empreendedora, com pouco risco e baixo custo de entrada, além de muitas opções de produtos e marcas”, explica Adriana Colloca, presidente executiva da ABEVD.